ACNUR retoma repatriamento de refugiados da RDC

ACNUR retoma repatriamento de refugiados da RDC

O processo de repatriamento voluntario dos refugiados da República Democrática do Congo (RDC), suspenso em Novembro de 2019, foi retomado segunda-feira última, na Lunad Norte, com o envio de 130 cidadãos a província de Kassai Ocidental.

O responsável local do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), Omotola Akindipe, explicou que dos repatriados 80 são crianças, 22 mulheres e 28 homens, integrantes de 29 famílias.

Os congoleses partiram de Tchicolondo, dando assim continuidade a um processo que andou parado devido ao mau estado da via de acesso às fronteiras de Nachiri e Tchicolondo, no município de Cambulo.

As fortes chuvas registadas nos meses de Novembro e Dezembro último estiveram também na base da interrupção momentânea do repatriamento dos congoleses que estão no campo do Lóvua desde 2017, por causa de conflitos étnico e político no seu país.

Desde o início deste processo, em Outubro transacto, regressaram já a RDC duas mil e 720 pessoas.

Close Menu
Right Menu Icon